AS MAIS LIDAS DA SEMANA

AS MAIS LIDAS DA SEMANA
AS MAIS LIDAS DA SEMANA

sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

IGNORÂNCIA E AQUECIMENTO GLOBAL

            Mais uma vez a imprensa fala dos simpósios que deverão discutir sobre o aquecimento global e suas causas. Os países mais desenvolvidos levam sempre a culpa por possuírem maior número de poluidores constituídos por indústrias e veículos automotores de combustão interna, como aviões, automóveis, barcos e tantos outros. O mundo engole de goela adentro todos os motivos expostos nessas conferências, sem questionar como se chegou a essa conclusão. A ignorância dos humanos sobre os eventos universais possibilita se culpar os terráqueos dos acontecimentos terrestres sem se tocar que o Planeta não está isolado do espaço sideral. A busca do equilíbrio do cosmos faz nossa galáxia se adequar às mudanças necessárias a essa conformação que inclui todos os corpos “celestes”, inclusive a Terra. Desta forma, mudanças pequenas de rotas e inclinação do nosso planeta em relação ao universo se fazem sentir no clima e suas intempéries, assim como nos movimentos das placas tectônicas e outros infortúnios, causando como consequência as mudanças no nosso planeta.
            Os humanos ocupam apenas 1% da área da superfície da Terra que oferece apenas 7% de sua área habitável. É impossível essa pequena população de 7 (sete) bilhões de habitantes alterar a temperatura do nosso mundo. A vaidade de serem poderosos leva os homens a imaginarem que sua capacidade de destruição está apta a alterar o destino do nosso habitat. Os humanos, é verdade, podem mudar o microclima das regiões na qual habitam, mas jamais de todo o planeta como se quer dizer do aumento generalizado da temperatura terrestre ou do aquecimento global.
            Não acreditamos que um problema já tão debatido em vários programas dos meios de divulgação falado e televisionado ainda esteja engatinhando nos saberes. É de se esperar que o objetivo de tantas discussões sobre o óbvio tenha outros interesses que devem esbarrar no consumismo de tecnologias e outros processos que venham a enganar mais uma vez a boa fé do povo. Por isso, é sempre bom questionar e não aceitar esse engodo de que a Terra está pegando fogo por culpa dos homens. Vamos ser vaidosos de nossas conquistas, mas exagero de vaidade sobre o que não conhecemos, negativo!

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

A SABEDORIA DO IDOSO

           
           As pessoas de princípios rígidos normalmente têm se prejudicado por força de um respeito exagerado aos princípios éticos junto à sociedade. Já foram os tempos em que se temia a crítica social na forma de vestir, nas formas de distrair-se, nas preferencias religiosas, nas atitudes pessoais e em tantas outras características intrínsecas das pessoas.
        Antigamente, a forma rígida de educar dos pais ou dos mestres levavam o educando a temer a exposição de suas ideias com receio de críticas ou até castigo vindo dos seus educadores. Dessa forma, era mais fácil expor sua maneira de ser aos seus amigos e colegas, muitas vezes às escondidas, do que de forma aberta ao público que tinha convivência consigo.
         Com o evento da globalização, os responsáveis pela evolução social das crianças e dos adolescentes tomam conhecimento das atitudes educacionais em todo o mundo e percebem que a inibição do livre comportamento das pessoas é capaz de privar o mundo de novas ideias e feitos que podem ser trazidos pelos jovens. Quando não damos a liberdade do expor-se, subtraímos de nosso meio cérebros pensantes.
         Apesar de todo esse progresso social no educar, ainda ficam resquícios da época dos conceitos retrógrados de nossos antepassados. Assim, mesmo hoje em dia, existe um comportamento das pessoas que esquecem seus direitos de se respeitarem entre si em favor do respeito à sociedade, que muitas vezes critica as pessoas por desmandos da própria sociedade.
          Esse estigma social só desaparece com a idade, só o tempo é capaz de quantificar os valores da sociedade e do seu entorno. Os idosos sabem muito bem que o “faça o que eu digo e não o que eu faço” é um adágio popular consagrado pela expressão de sua verdade. “Quem desdenha quer comprar” traduz muito bem a inveja e o desejo daqueles tradicionais arraigados aos fundamentos ultrapassados e com a incapacidade de se atualizar nos preceitos sociais de hoje, vivendo a criticar aqueles que tiveram suas vidas de encanto e fulgor e até hoje colhem os resultados de seus investimentos no saber. O respeito a si próprio em detrimento do respeito social só é adquirido na “maior idade”. Os costumes têm que ser respeitados, mas ninguém deve ser fantoche da sociedade hipócrita na qual vivemos.

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

ALZHEIMER, COMO EVITAR

            O mal de Alzheimer tem sido estudado, mas se tem poucos resultados que definam as causas desse mal que tem atingido milhões de pessoas no mundo todo. Como sua ocorrência tem percentual maior na terceira idade, admitiram-se várias causas: vida sedentária, falta de exercício cerebral e outras omissões no viver comum dos mais velhos. O incrível em tudo isso é que outros anciões com comportamentos semelhantes não são atingidos por esse mal, sem a necessidade de mudar seus hábitos fartamente encontrados em seus pares.
            Uma análise da vida pregressa desses pacientes acometidos pelo mal de Alzheimer levou os estudos atuais à conclusão de que um sofrimento ou evento danoso no transcorrer da vida era o grande motivo para a contração desse mal. Acontecem danos pouco remediáveis quando da perda  de um ente querido ou de uma grande decepção no transcorrer da vida. Como o CÂNCER e a AIDS, o mal de Alzheimer parece ter os mesmos motivos ou causas da infestação desses males. A baixa da imunidade é fisiologicamente o grande motivo do desenvolver de um CÂNCER ou da AIDS, mas só um mal cerebral é provável levar ao desenvolvimento de um estado mental fora do regular. Como explicar isso agora?
            O mal de Alzheimer tem uma faceta diferente. Evolui rapidamente fazendo com que a pessoa desconheça o seu meio e as pessoas, mesmo as mais próximas; a memória dos fatos mais distantes do hoje é praticamente apagada e a atual pouco se fixa. A vítima desse mal vive como a meditar o nada e não reconhece o seu eu, é como se vegetasse e, de quando em vez, se revoltasse com o que a cerca. Assim, a conceituação do estado mental deve ser a FUGA DA REALIDADE.
            Pensando dessa forma, conclui-se que algum fato, ou alguns, do passado, de responsabilidade ou coadjuvância do paciente, persegue-o a cada momento e a única forma de satisfazer a sua necessidade cerebral da satisfação* é ir em busca da FUGA DA REALIDADE. Assim é bom evitar durante a vida deixar casos mal resolvidos, como sejam negar a paternidade, ou qualquer outro crime ou até atitudes deploráveis que o venha perseguir como um remorso que desafie a sua própria existência. Um mal caráter jamais sofrerá do mal de Alzheimer!

*Nosso cérebro cuida de dar sempre satisfação ao nosso viver.

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

DESPREPARO GERAL

        Vivendo o ano de 2017 e ainda vemos o despreparo das pessoas em todas as atividade sociais e profissionais não só aqui no Brasil, mas no mundo todo. Em cada segmento, assistimos à vaidade imperar e os cuidados com as informações científicas e as pesquisas são jogados ao ralo. Um programa informativo de uma das nossas televisões de canal aberto comentava sobre o quimerismo humano sem o menor conhecimento científico para tanto. A ideia errônea sobre as causas do quimerismo ultrapassou todos os limites do desconhecimento. Pesquisem e verão, já comentamos sobre isso em nosso blog: quimera-wilsonmar.blogspot.com.
            Na área de engenharia, medicina, direito, educação  e outras o que se vê são falhas, muitas vezes, irremediáveis, inclusive com perda de vidas, vítimas do desconhecimento e da falta de atualização dos conhecimentos. Estruturas curriculares em cursos de diversos níveis, são definidas sem a menor análise do futuro, definido pelas reformas mal cuidadas e ditadas por pessoas e grupos despreparados. Desformalização da educação foi um  evento tolhido em tempo hábil, mas outros conceitos, sem bases científicas, ainda hoje, tentam-se implantar, como é o caso da “ideologia de gênero”.
            Nas áreas técnicas, nem se fala, são pedreiros discutindo com engenheiros, enfermeiras não cumprindo as determinações médicas e assim por adiante. No segmento social, a  inobservância das leis, regras e posturas sociais, em cada evento, abusa da ignorância. Tudo isso movido pela falta de lideres nas diversas instancias, que venham a dar exemplo do como fazer, pois só aparecem falsos líderes criados pelos interesses de grupos que só semeiam o roubo a hipocrisia e a mentira.
            Como minorar esse caos? Primeiramente levando ao poder jovens preparados de modo formal que respeitem as instituições e seus comandados na comunidade em que vivem, e tenham conhecimento científico invejável. Segundo expurgando todos os congressistas que já tenham, pelo menos, um mandato em cargo político. O conhecimento técnico científico, fora da linha do Bacharel em Direito, constituirá pessoas com outra formação ética capaz de alavancar o nosso país. O direito ensina o caminho de mão única, a defesa de nossos clientes, ou nosso grupo. As outras graduações cuidam em mão dupla: o receber da sociedade à medida que lhes confere seus desejos. Isso é cultural e dito por um advogado já à cinquenta anos, e eles tinham mais de cinquenta anos exercendo essa profissão.

sábado, 16 de dezembro de 2017

PAÍS DE FUTURO

            O Brasil é tido como um país do futuro. Psicologicamente falando, a palavra futuro, apesar de ser muito utilizada em publicidade ou marketing, afasta o cidadão do pensar ou cuidar do hoje. É como se estivéssemos deixando as preocupações em termos de zelar por alguma coisa sempre para o amanhã. Esse pensar subjetivo nos leva a deixar as prioridades da nação para o amanhã e cuidar das nossas. E então, com o egoísmo desenvolvido durante as nossas vidas, relegamos, a um segundo plano, as nossas obrigações com o nosso país, nosso estado, nossa cidade, nossa comunidade e com nossos companheiros. Isso torna o viver mais compulsivo, pois não dando nossa colaboração, não receberemos dos nossos convivas as mais simples atenções que nos  facilitariam as caminhadas no tempo.
            Cumprir o dever, sem egoísmo, facilita a construção do futuro que chegará para nós e nossos descendentes de forma mais harmônica e coerente para uma vida prazerosa que será desfrutada, inclusive por nós mesmos, pois a preocupação com nossa prole será mais atenuada quando vislumbrarmos um futuro que chegará como consequência de um presente mais assertivo, vivendo simplesmente o momento com responsabilidade.
            O valor intuitivo do futuro tem um sabor de depois, assim, as obrigações são sempre adiadas no vislumbre de um momento que sempre estar por vir e nada é feito! Dessa forma, vamos pensar no Brasil como um país do hoje, que está acontecendo a cada momento. Frases como “PAÍS DO FUTURO”, “LEVAR VANTAGEM EM TUDO” e tantas outras, só cuidam do mal de forma inconsciente. O uso exacerbado desses e de outros conceitos levaram o povo brasileiro à adoção de posturas não compatíveis com os preceitos que campeiam a cidadania que levam ao respeito e desenvolvimento da nossa Nação.

            É preciso um olhar mais crítico para as questões impostas pela sociedade semianalfabeta que habita o nosso Brasil e propaga o errado, o torpe, o desonesto. Tudo isso sem se importar em dar o exemplo que servirá na construção de uma sociedade mais humana e irmã que veja, no seu papel, uma oportunidade de melhores dias para seus descendentes, sem usar meios ilícitos e irresponsáveis, para enriquecimento próprio e a miséria dos seus concidadãos! Brasil, país sempre adepto às técnicas e aos princípios éticos que desenvolvem um povo brilhante no todo, igual às necessidades do hoje de cada um! Brasil um país do agora, do presente!